Pélico

Discografia

Que isso fique entre nós (2011)

  • ainda não é tempo de chorar

    • Letra

      ainda não é tempo de chorar
      (Pélico)

      Onde foi parar teu amanhecer?
      Não cabia ao mal te surpreender
      Pode apostar, não tem por que tanta mágoa assim
      Se ainda não é tempo de chorar
      Pulsar pra não se arrepender depois
      Se aventurar

  • sem medida

    • Letra

      sem medida
      (Pélico)

      Incrível você e eu em qualquer lugar
      Outros lábios entre os copos vão dizer
      Que não adianta correr, supor o estrago, se indignar
      Não se mede desespero com você

      Falo bem de você em qualquer lugar
      Em seu braços nobres homens se perderam
      Quem me dera poder ter a coragem de te negar
      Mas não se mede sensatez com você

      Sempre volto atrás
      Então me diga: – Como quer que eu te queira?
      Tenho por nós dois
      As verdades só me cabe ignorar
      E caminho sem medida com você

      Querem você e a mim em qualquer lugar
      A distância que me encobria se perdeu
      Onde mora o prazer, a compaixão é o pecado
      Não se medem devaneios com você

      Sempre volto atrás
      Então me diga: – Como quer que eu te queira?
      Tenho por nós dois
      As verdades só me cabe ignorar
      E caminho sem medida com você

  • não éramos tão assim

    • Letra

      não éramos tão assim
      (Pélico)

  • que isso fique entre nós

    • Letra

      que isso fique entre nós
      (Pélico)

      Que isso fique entre nós
      Custe o que custar
      O que eles não sabem
      E nem podem imaginar
      Onde a calma se põe
      Num lugar pra repousar

      E deixar tudo ir buscar
      Um novo céu a nos guiar
      Aqui fiz de um mar tranquilo
      A força, pátria, o meu auxílio

      Que isso fique entre nós
      Seja como for
      Amigo se quer bem
      Mesmo sem dizer
      Nem se pode alcançar
      E nem dá pra entender

      Quando tudo era frio, tão não
      E você fazia mais questão
      De se descalçar pra caminhar
      Comigo de pés no chão

      Aconteça o que acontecer
      Daqui do alto posso ver e crer
      A quantos passos fico
      Da minha casa ao seu ouvido

  • tenha fé, meu bem

    • Letra

      tenha fé, meu bem
      (Pélico)

      Tenha fé, meu bem
      É sublime suster
      O que a gente não vê

      Mas se te convém
      Não precisa provar
      Que você muito tem

      Lembra da gente sentado olhando o mar?
      Dias em Mongaguá
      Sinto saudade de lá

      Triste daqueles que não sabem mais contemplar
      E juram que podem julgar
      Nada vai nos alcançar

      A vida pertence a verdade
      Dos sonhos que vão te buscar

  • levarei

    • Letra

      Levarei
      (Pélico)

      De todas as tristezas que tive na vida
      Nenhuma me deu tanta alegria
      Como essa

      Era como andar do lado de lá
      E o prazer de não ter certeza nenhuma
      Nenhuma

      Onde quer que eu vá, onde eu pisar
      Levo o teu sorriso
      Onde quer que eu vá, onde eu pisar
      Levarei

      Me lembro que nasci no dia seguinte
      Depois da euforia e antes do pranto
      Lamento

      Quem eu muito queria ficou pra amanhã
      Mas um bem querer vale o esforço
      Que esforço

      Pra seguir viagem sem me zangar
      Mas quando eu voltar, vou te encontrar
      E pedir…

  • recado

    • Letra

      recado
      (Pélico)

      Dos desenganos aqui vou contar
      De tudo que fiz que perdeu seu lugar
      De tantas vezes que te desejei.
      Pois bem, será que eu não tenho o direito de te maltratar?

      Você me diz pra não te moldar
      Mas é impossível ficar como está
      Da liberdade que sucumbe as leis
      Nem anjos e santos de pura bondade pra te perdoar

      Não é de perdão que quero falar
      É assunto demais pra te incomodar
      Voltemos então de onde parei,
      Em pouco tempo não terá a coragem de me encarar

      E assim começo a contar
      Os dias que faltam pra te ver chorar
      Pura vingança. Me disseram, eu sei!
      Enfim, me despeço, porque a dor e a saudade não vão te deixar

  • vamo tentá

    • Letra

      vamo tentá
      (Pélico)

      Estou por aqui de você
      E sei muito bem que você também
      Pra que insistir com essa mentira?
      Brincadeira tem hora

      Se chego mais cedo me bota na mira
      Abro a boca já tenho razão
      Se chego tarde cheira minha roupa
      Me cansei de pisar no seu calo

      Tenho alguns vícios e tenho manias
      Até parece que você não tem
      Vamos deixar combinado
      Cada um pro seu lado

      Mesmo que você me bote pra fora
      E meus direitos quem é que não vê?
      Eu abri mão de toda uma vida
      Pra ficar com você

      Se a mocidade não entende o que eu digo
      Acho melhor voltar pra você
      Tô condenado, à toa na rua
      Esperando alguém como você

      Vamo tentá, vamo tentá
      Vamo tentá…
      Vamo tentá mais vez
      Quem sabe agora a gente apruma de vez

  • não vou te deixar, por enquanto

    • Letra

      não ou te deixar, por enquanto
      (Pélico)

      Brinco de ser maior
      Você não sabe o motivo
      Aos poucos me sinto melhor
      Tenho o que foi possível
      Claro, não é de enjoar
      Não faço bem esse tipo
      A vida vai se encarregar
      E nada posso com isso

      Ah! não vou te deixar, por enquanto
      Ah! não vou te deixar, por enquanto

      Levo uma vida menor
      De amores tolos, perdidos
      E esse seu dom de controlar
      Me faz querer o impossível
      Temos data pra terminar
      Finjo que não acredito
      Nosso trato prevê o pior
      Mas o destino é impreciso

      Ah! não vou te deixar, por enquanto
      Ah! não vou te deixar, por enquanto

      Às vezes penso que você não pode comigo

  • tempo de criança

    • Letra

      tempo de criança
      (Pélico)

      Tempo, tenho tempo pra viver
      Pouco tempo pra voltar
      Tenho tempo pra fazer
      Pouco tempo pra desistir
      Tenho tempo pra esquecer
      Pouco tempo pra recomeçar
      Tenho tempo pra envelhecer

      E todo tempo pra te amar
      E ouvir você cantar pra mim

      Tempo, tenho tempo pra querer
      Pouco tempo pra deixar
      Tenho tempo pra merecer
      Pouco tempo pra fingir
      Tenho tempo pra compreender
      Pouco tempo pra duvidar
      Tenho tempo pra enlouquecer

      E todo tempo pra te amar
      E ouvir você cantar pra mim

  • sete minutos de solidão

    • Letra

      sete minutos de solidão
      (Pélico)

      Saber que não tenho mais ninguém
      Não é me conformar com a solidão
      Capaz, se Deus também vive só
      E isso só me basta suportar
      Quem não me quer bem
      Então que fique imaginando como foi
      Pois digo em verdade:
      A cada treze minutos minha paixão aumenta por você

      Se foi o tempo de ter alguém
      E andar conforme a sua condição
      Quem são aqueles que sabem morrer
      E renascem mais felizes noutro lugar?
      Quero também ver
      Outro passado que se encaixe com o meu
      Pois digo: – É o seu!
      E a cada sete minutos minha paixão aumenta por você

      Eu quis, não vou negar
      Era melhor pra mim, não vou negar
      Não peço que entenda.
      Não entenda

      Eu quis, não vou negar
      Era melhor pra mim, não vou negar
      Entenda…
      Que a cada cinco minutos minha paixão aumenta por você

      Mas sempre acreditei que tudo há de ser bem melhor

  • à beira do ridículo

    • Letra

      à beira do ridículo
      (Pélico)

      Longe, longe, quando dei por mim
      Estava a esperar você pensar e decidir mudar

      Longe, longe fui pra te buscar
      E quando cheguei lá você não tinha mais por que voltar

      Ah, tanto faz ter me humilhado assim
      Até já sei que outro alguém roubou o meu lugar

      Quando lembro do seu provocar
      Andando de lá pra cá com aquele seu amor vulgar

      Sabe, hoje penso em seu penar
      Eu tentei te avisar, mas você nunca foi de me escutar

      Ah, ninguém mais pra te tirar daí
      Se quem te amou você tampouco quis considerar

      Ah, tanto faz ter me humilhado assim
      Até já sei que outro alguém roubou o meu lugar

  • minha dor

    • Letra

      minha dor
      (Pélico)

      Se você lembrar
      Leve minha dor
      Se ela não quiser
      Diga que eu mandei

      Aqui não tem mais jeito
      De bem não vou ficar
      Me calo pra tentar esquecer

      Sigo como der
      Por ora, vou sofrer
      Mas quando me deixar
      Por onde andarei?

      Se em tudo me quiser
      Será como eu
      Que vivo pra tentar esquecer

      Não importam os tais
      Se tantas vezes desabei
      Escolho continuar
      Com esta dor me acostumei
      É só deixar e esquecer

      Não dá pra imaginar
      Como aconteceu
      Que o fim dessa história
      Seja todo seu

      Quando me notar
      Longe estarei
      Livre pra tentar esquecer

  • se você me perguntar

    • Letra

      se você me perguntar
      (Pélico)

      Sei, cê finge que não vê
      E diz que não tem mais
      Que nada muda por aqui

      Pois é, quem não muda é você
      Que sempre pede por favor
      Não queria vê-la assim

      E se você me perguntar
      Eu digo: Impossível te completar
      Se tanta coisa em mim falta
      Se tudo muito em mim…

      Só combinamos sem querer
      Não me lembro se nós dois
      Vimos tudo acontecer

      Não sou mais forte que você
      Só entendo que aceitar
      É melhor que tê-la assim

      E se você me perguntar
      Eu digo: É difícil acreditar
      Mas a gente se acostuma
      Com o inacreditável
      O inacreditável

  • o menino

    • Letra

      o menino
      (Pélico)

      O menino fugiu, se perdeu nessas ruas que sabia de cor
      As palavras ardiam, soavam mais duras do que seu pai lhe ensinou

      Adiante sujou suas mãos, mas o Senhor lhe perdoou
      Afinal, a inocência é um pequeno barco que nunca mais volta pro cais

      E mais tarde foi parar entre as pernas de um amor casual
      E entendeu que a paixão são fragmentos de amores num velho colchão

      E um dia…

      Conheceu bons amigos leais que o ensinaram a mentir
      E da mentira aprendeu, que só se rouba uma história se for pra cantar

      E chorou com as belas canções de anônimos, poetas de bar
      E sorriu sem saber onde nascem os dias que ainda estão por vir

      E por fim, concluiu: Não se atravessa uma vida sem magoar alguém

  • não corra, não mate, não morra

    • Letra

      não corra, não mate, não morra
      (Pélico/Estêvão Bertoni)

      Não corra, não mate, não morra
      Se guarde para as tardes na cidade vazia
      À festa lá na praça ninguém foi
      Só o galo na madrugada soube cantar
      E a banda que passou ninguém viu

      Oh! Oh! Oh! Oh!…

      E a banda que passou ninguém viu
      Melhor que as sombras camufladas do outro lado
      Quem tem coragem…
      É de se encantar

      Não corra, não mate, não morra
      Espalhe suas cartas e todas as velhas notícias
      Os olhos que teimavam em dormir
      Sob as águas daquela tarde embriagada
      E a banda que passou ninguém viu
      Melhor que as sombras camufladas do outro lado
      Quem tem coragem…
      É de se encantar